AERLIS promove seminários sobre mercados de Moçambique e Angola

0
502

O ciclo de seminários “Oportunidades de negócio em mercados internacionais” vai realizar-se na sede da AERLIS, em Oeiras, nos dias 24 de setembro e 15 de outubro.

A AERLIS promove este ciclo de seminários com o objetivo de revelar o potencial dos diversos mercados internacionais, as oportunidades que os países oferecem às empresas portuguesas e os apoios que podem utilizar para reduzir o risco dos seus investimentos.

As próximas sessões vão incidir nos mercados de Moçambique e Angola, onde serão feitas intervenções sobre o enquadramento económico dos países, as oportunidades para as empresas portuguesas e os apoios financeiros, jurídicos e fiscais.

No dia 24 de setembro, das 9h30 às 13h00, realiza-se o seminário sobre Moçambique, o país considerado uma plataforma de entrada nos mercados do universo da SADC (Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral) que agrega cerca de 250 milhões de consumidores. O país é encarado como um caso de sucesso entre as economias africanas e tem assumido um papel cada vez mais determinante no contexto da África Austral, atendendo, nomeadamente, ao seu potencial como fornecedor de energia para a região.

De salientar que ao longo dos últimos anos, a economia moçambicana tem apresentado elevados índices de crescimento económico sinalizando o ritmo de convergência do país em direção a padrões de vida mais elevados. De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), o desempenho económico de Moçambique deverá suplantar o da região ao longo dos próximos anos, já que as previsões do crescimento económico do país, entre 2012 e 2015, apontam para valores na ordem de 8%, enquanto a região deverá apresentar um crescimento médio em torno de 5,5%.

No dia 15 de outubro, no mesmo horário, realiza-se a sessão sobre Angola, onde a implementação do Stand-By Arrangement (SBA) 2009-12 – programa do Fundo Monetário Internacional (FMI) – ajudou o país a recuperar estabilidade macroeconómica, a melhorar a situação orçamental, a aumentar as suas reservas em divisas, a estabilizar a taxa câmbio da sua moeda e a fazer recuar a inflação. Além disso, Angola conseguiu regularizar importantes atrasos da sua dívida interna e registou progressos no reforço da transparência orçamental e na prestação de contas.

O país tem realizado progressos significativos em diversos indicadores do desenvolvimento humano, incluindo a pobreza, a saúde e a educação. A agricultura e pecuária, as pescas e a pequena indústria transformadora são atividades que têm merecido apoios do Governo, bem como a criação de mais empregos através do incentivo ao empreendedorismo. O crescimento económico deverá atingir os 7.9% em 2014, impulsionado pela expansão do sector petrolífero e do gás e por um programa de despesas públicas destinado a encorajar a diversificação económica.

A participação nos seminários é gratuita para associados da AERLIS, e quem não o for pode inscrever-se no site da Associação Empresarial da Região de Lisboa.