6 coisas a saber sobre o novo Mercado de Algés

0
418

mercado de algés

 

Concessionado pela empresa Naipe d’Emoções, este novo mercado de Algés surge renovado mas com um semelhante conceito ao dos seus anteriores concessores

 

Tem sido aplicada uma fórmula que tem resultado bastante bem que assenta na restauração de um mercado, quando este está envelhecido e decadente, Avançou oObservador.

 

As autarquias responsáveis têm optado pela renovação do espaço e pela concessão de uma zona de restauração que funcione como polo de atração de novos clientes. Aconteceu Foi nos mercados de Campo de Ourique e da Ribeira, em Lisboa,  no Bom Sucesso, no Porto, no Mercado da Vila, em Cascais, e desde a última quarta-feira, no novo Mercado de Algés.

Concessionado pela empresa Naipe d’Emoções, este novo mercado de Algés surge renovado mas com um semelhante conceito ao dos seus anteriores concessores.

Mas saiba aqui fatores a ter em conta antes de o visitar:

1. A restauração tem oferta para todos os gostos

Existe aqui variedade de cozinhas e conceitos. E se alguns dos espaços são repetentes na presença em food court, como o Mister Pig, a Weeel ou o Atalho, outros há que se estreiam completamente como o  SushicWalkamole, ou Peixe Ó Balcão.

 Eis a lista completa de espaços:

  • Peixe Ó Balcão
  • Chicken All Around
  • Atalho do Mercado
  • Atalho Burguer House
  • Sushic
  • Walkamole
  • Weeel
  • Artisani
  • O Mercado dos Bolos
  • NaTábua
  • A Banca do Petisco
  • Pizza ao quadrado
  • Mister Pig

2. As bebidas pedem-se à parte

As bebidas pedem-se numa zona específica, contudo, diz quem já visitou que este sistema tem provocado algumas filas (principalmente no horário de ponta das refeições).

3. Há um palco em formato mezzanine

Ainda sem programação cultural anunciada, este espaço inclui um palco, instalado numa espécie de plataforma elevada sobre toda a zona de restauração.

4. A venda tradicional está numa zona contígua

A zona de venda de produtos é contígua ao food court, permitindo facilmente a circulação entre uma área e a outra. Segundo os responsáveis pelo mercado, foram mantidos todos os comerciantes tradicionais e foi lhes dada a opção de acompanhar o horário alargado de abertura da área concessionada para restauração, completa ou parcialmente, ou de manter o seu horário atual.

5. À primeira vista parece mais pequeno que os seus congéneres. Será que é?

Visto de fora, o mercado parece mais pequeno que todos os outros que foram alvo de uma reabilitação semelhante. Mas em termos de lotação máxima, no novo Mercado de Algés, apesar de o interior comportar apenas 240 lugares sentados as duas esplanadas existentes dobram essa capacidade. Assim, no total podem comer ali ao mesmo tempo quase meio milhar de pessoas.

6. A zona adjacente foi tornada pedonal

O novo Mercado de Algés veio mexer também com as zonas envolventes do espaço. No troço adjacente, a Rua Ernesto da Silva, a circulação automóvel foi desviada para se criar uma zona pedonal de lazer, por onde se pode aceder diretamente a uma das zonas de esplanada do Mercado.

In OeirasDigital